Você está aqui: Página Inicial > Informes Coronavírus > Ensino Remoto Emergencial
conteúdo

Ensino Remoto Emergencial

Com a aprovação pela Comissão Superior de Ensino (COSUEN), a UNILA começará a ofertar atividades acadêmicas por meio do Ensino Remoto Emergencial (ERE).

Com o objetivo de esclarecer as principais dúvidas e centralizar as informações em um único espaço, foi criada esta página, para facilitar o acesso à informação e para entender esta nova dinâmica como forma de minimizar os impactos da pandemia de Covid-19 na vida acadêmica.




Principais pontos:

  • Adesão facultativa: a adesão ao ensino remoto emergencial é facultativa, tanto para docentes como para discentes.
  • Composição das atividades: poderão ser ofertados componentes curriculares teóricos e práticos que puderem ser adaptados ao ensino remoto emergencial, além de atividades acadêmicas complementares, TCCs e estágios.
  • Frequência e avaliação: durante o ensino remoto não há reprovação por frequência. Os discentes que apresentarem rendimento suficiente serão aprovados, independentemente da frequência. As reprovações durante o ERE não serão computadas no histórico escolar e também não terão efeitos no IRA. Já as aprovações serão registradas nos históricos e consideradas para fins de conclusão de curso.
  • Calendário: o início das atividades está previsto para o dia 21 de setembro, com prazo para conclusão até 23 de dezembro. Trata-se de um semestre especial, nomeado 2020.5.
  • As bolsas de pesquisa, extensão e de assistência estudantil não serão afetadas por reprovações em componentes curriculares do ERE, salvo os editais de apoio específicos para o Ensino Remoto Emergencial.
  • Inclusão digital: serão disponibilizados para os discentes de graduação e pós-graduação programas de inclusão digital.
  • Capacitação docente: a UNILA criou um programa de capacitação docente para facilitar o processo de construção do Ensino Remoto Emergencial.