Você está aqui: Página Inicial > Revistas > Revista Peabiru
conteúdo

Revista Peabiru

publicado 12/01/2019 00h21, última modificação 30/07/2020 14h36
A Peabiru é uma revista multimídia e colaborativa sobre cultura latino-americana, que tem como objetivo fazer circular a diversidade de vozes existentes na Universidade Federal da Integração Latino-Americana e na região de fronteira onde a UNILA está inserida.

Peabiru es un proyecto de arte y cultura laitnoamericana que produz hace 10 años una revista multimediática y colaborativa sobre cultura latinoamericana, que circula con el fin de promover la diversidad de voces e interpretaciones sobre la región. Otro eje de trabajo es la difusión cultural, un frente responsable en producir contenido digital sobre la cultura latinoamericana y organizar talleres, exposciones, intervenciones artísticas (muralismo de graffiti, fotomuralismo, instalaciones, vídeomapeo, etc.) en diálogo con movimientos, colectivos y comunidades de espacios urbanos en Foz de Iguazú y la región fronteriza.

La revista y las acciones de difusión cultural son parte de un proyecto de extensión realizado en la Universidad Federal de Integración Latinoamericana y tiene como foco contribuir con la misión de la institución fortaleciendo los procesos de integración regional y también dejar en evidencia a la región de frontera donde la UNILA está inserta.

Lee más: https://revistas.unila.edu.br/peabiru/index

 

Edição nº 23, maio/2020

 

Em 2020 a Peabiru lança a sua publicação em plena celebração dos 10 anos da Universidade Federal da integração Latino-Americana. Praticamente contemporâneas, ambas, revista cultural e universidade, celebram uma década de re(existência) e caminham entrelaçadas, ainda que equilibrando-se diante dos cenários em crise, na urgente a missão intercultural e solidária da integração dos povos latino-americanos. Todas as matérias surgem nesta ed. 23 como expressões fortes e singulares que ilustram a liberdade e ancestralidades dos corpos, dos territórios, dos setores populares, dos povos originários e dos modos de ver e traduzir o mundo, e que parecem perdurar, mesmo quando a correlação desigual de forças tenta desapropriar essas manifestações de seus próprios territórios. Ainda assim, essas manifestações tradicionais e contemporâneas seguem cultivando e reinventando o eixo da interculturalidade que nos torna Latino-Americanos e indica caminhos para nos reconstruirmos enquanto sociedade.