Você está aqui: Página Inicial > IMEA > Estudos Avançados no Brasil
conteúdo

Estudos Avançados no Brasil

publicado 21/05/2019 15h56, última modificação 30/05/2019 12h49
Tendo por referência a experiência dos institutos de estudos avançados de universidades estadunidenses e europeias, as universidades brasileiras, desde a USP em 1986, têm procurado encontrar seu próprio caminho na constituição destes centros produtores de ideias de vanguarda e de caráter interdisciplinar.


“A coisa mais importante para nós, brasileiros, é inventar o Brasil que queremos”  - Darcy Ribeiro

1 – Instituto de Estudos Avançados da USP (IEA/USP)

Estudos Avançados no Brasil / IMEAEm fevereiro de 1986, começou-se a definir junto à comunidade acadêmica da USP as condições necessárias para a implantação do Instituto de Estudos Avançados (IEA). Em agosto, sintetizando os trabalhos empreendidos pelo Grupo de Estudos, foi apresentado à comunidade acadêmica um documento de trabalho que se constituiu no norteador da filosofia geral que preside o Instituto de Estudos Avançados da USP. Após várias atividades iniciais que foram definindo os mecanismos de funcionamento do Instituto, o IEA foi oficialmente criado em 29 de outubro de 1986.

Em síntese, com a criação do IEA, a atual reitoria da USP pretende responder a um dos antigos anseios do corpo acadêmico e oferecer um instrumento a mais para que a instituição se reencontre com sua própria história. Estimula-se, assim, um processo endógeno, porém internacionalista, de reflexão crítica. Advirta-se, desde logo, que o modelo adotado – e que deverá ser aprimorado a partir das sugestões do corpo acadêmico uspiano – exclui radicalmente o perigo de se transformar o IEA numa universidade dentro da Universidade.

O objetivo não é esvaziar as faculdades e os departamentos de suas substâncias. Ao contrário. Diversamente de modelos como o Colégio de México, o Collège de France ou a École Pratique des Hautes Études (externos à universidade), o modelo uspiano de Instituto de Estudos Avançados caracteriza-se pela ativação de um espaço de reflexão onde se cultivem os estudos avançados conduzidos por mestres de excelência nacional e internacional, no interior da instituição.

Reforçar a sua tríplice função acadêmica de local de reflexão crítica, sensor de avanços na fronteira internacional do conhecimento e incubadora de ideias propositivas. Dada a amplitude de suas interfaces com todas as áreas da USP, o IEA se propõe a ampliar o seu papel de favorecer a convergência de saberes, buscando analisar temas complexos a partir de uma visão multidisciplinar e de prototipação de modelos inovadores de intervenção contributiva para se lidar melhor com os grandes desafios da sociedade.


Para mais detalhes acesse a página do Instituto.

 


2 – Colégio Brasileiro de Altos Estudos da UFRJ (CBAE/UFRJ)

Estudos Avançados no Brasil / IMEAO Colégio Brasileiro de Altos Estudos, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, procura articular e dar guarida a especialistas da UFRJ e de outras universidades em grupos de pesquisa em torno de polos temáticos transversais. Além disso, estes polos possuem em comum um caráter de centro de documentação e produção de acervos, utilizando-se para isso da tecnologia digital disponibilizada para o conjunto das atividades do CBAE, bem como de recursos do Fórum de Ciência e Cultura, centro universitário ao qual pertence.

O Colégio Brasileiro de Altos Estudos da Universidade Federal do Rio de Janeiro é um centro de referência acadêmica que tem como objetivo o encontro de pesquisas e pesquisadores de ponta dos diversos campos do conhecimento. A formação do CBAE se espelha nas experiências dos diversos institutos de estudos avançados internacionais e nacionais.

O termo “Altos Estudos” pode parecer uma expressão pretensiosa, mas ela qualifica a ambição que move a UFRJ: abrir um espaço e consagrar esforços e recursos para que possamos viver e experimentar novas dinâmicas cognitivas, novos caminhos epistêmicos, novas pedagogias e novas linguagens, fomentando a pesquisa que se realize nas fronteiras do conhecimento. Portanto, transborda uma vontade de novos caminhos e de desenvolvimento. Por sua vez, o qualificativo “brasileiro” - referente à antiga denominação da UFRJ, Universidade do Brasil - não pretende circunscrever temas, menos ainda discriminar pesquisadores por sua nacionalidade.

Para mais detalhes acesse a página do Colégio.


3 – Instituto de Estudos Avançados da Unicamp (IDEA/Unicamp)

Estudos Avançados no Brasil / IMEAO Instituto de Estudos Avançados (IdEA) da Unicamp é um espaço de livre criação voltado para reflexões de ponta nos diferentes campos do conhecimento científico, da cultura e das artes no Brasil e no exterior. Com sede própria, próximo à Reitoria, o IdEA proporciona um ambiente de estudo, de pesquisa e de trocas científico-culturais de viés fundamentalmente multidisciplinar e internacional, aberto aos mais diversos temas, com destaque para aqueles que tocam os limites dos paradigmas conhecidos.

O meio privilegiado para a efetuação desse objetivo é o acolhimento a pesquisadores e artistas, do Brasil e do exterior, que venham interagir, a partir de projetos qualificados, com a comunidade acadêmica da Unicamp.
A agenda de atividades do IdEA, inclui grandes eventos, publicações, formulação de projetos e grupos de pesquisa sobre diversas áreas do conhecimento, bem como os programas de Artista Residente e Pesquisador Residente, a partir de 2018.

O IdEA sucede dois outros órgãos que também tinham, entre suas respectivas atribuições, a missão de refletir sobre temas ligados ao avanço das ciências e humanidades: o Centro de Estudos Avançados (CEAv) e o Fórum Pensamento Estratégico (Penses).

Promover uma reflexão colaborativa e interdisciplinar sobre temas que estão na fronteira do conhecimento, fortalecendo o desenvolvimento científico do país. Em síntese, esse é o objetivo do Instituto de Estudos Avançados (IdEA) da Unicamp.

Para mais detalhes favor acessar a página do IDEA.

 

 

 


4 – Instituto de Estudos Avançados Transdiciplinares (IEAT/UFMG)

Estudos Avançados no Brasil / IMEAO IEAT (Instituto de Estudos Avançados Transdisciplinares da UFMG) tem como objetivo promover a geração de um ambiente propício à realização de estudos transdisciplinares na UFMG, com características de excelência (por excederem o normal e o ordinário), de ponta (voltados para o novo e o futuro) e de indução (que interferem na maneira de gerar, organizar e difundir o saber), abrangendo as diversas áreas do conhecimento – humanidade, exatas e biológicas.

Dessa forma, será buscado, em suas diferentes linhas de atuação, o chamado estado da arte do conhecimento, sem o qual não há pesquisa avançada nem grupos de excelência.

O IEAT foi criado, em caráter experimental, em 1999, como um órgão vinculado ao Gabinete do Reitor. Sua institucionalização foi realizada pela Resolução 03/2005 de 12 de maio de 2005 do Conselho Universitário. O IEAT tem por âmbito a pesquisa, com inserções no ensino e na extensão, e por missão a promoção da transdisciplinaridade, mediante a aproximação, a articulação e o transpassamento dos campos disciplinares e áreas do conhecimento tradicionais.

Para alcançar êxito em suas realizações, o IEAT busca sua identidade própria na promoção da transdisciplinaridade, articulando contribuições das metodologias disciplinares existentes, dando lugar a abordagens fortemente contextualizadas, abarcando artes, ciências e tecnologias e gerando características novas. Sua principal linha de atuação é o estímulo à geração e à difusão de uma nova práxis e de um novo ideal do conhecimento, tendo por locus experiências coletivas de grupos de especialidades variadas, por instrumento ou meio a aproximação das disciplinas e por alvo a formação de profissionais especialistas e com capacidade de frequentar mais de uma área do saber.

As abordagens multi e interdisciplinares já estão incorporados à rotina de pesquisa, ensino e extensão da UFMG e, nesse sentido, a transdisciplinaridade representa uma busca epistemológica pelo novo. O IEAT representa, assim, um dos loci privilegiados das ideias e da utopia na UFMG.

Para mais detalhes favor acessar a página do IEAT.

 

5 – Colégio de Estudos Avançados da UFC (CEA/UFC)

Estudos Avançados no Brasil / IMEAO Colégio de Estudos Avançados (CEA) é um Órgão da Universidade Federal do Ceará, vinculado à Escola Integrada de Desenvolvimento e Inovação Acadêmica (EIDEIA). Segundo seu Estatuto de 2016, O CEA tem por finalidade fomentar o desenvolvimento de atividades, programas e projetos de abrangência regional, nacional e internacional que contribuam de forma significativa para o progresso acadêmico, científico, tecnológico e cultural, tendo as seguintes diretrizes (art. 2º):

I – apoiar programas e projetos avançados de ensino, pesquisa e extensão, privilegiando as propostas que impliquem a colaboração interinstitucional de natureza multidisciplinar;

II – promoção de intercâmbio entre a Universidade Federal do Ceará e instituições acadêmicas, com o propósito de apoiar projetos relevantes ao desenvolvimento acadêmico, científico, tecnológico e cultural.

As atividades do CEA abrangem tanto o estudo das ciências e tecnologia quanto o das humanidades e artes, privilegiando a abordagem multidisciplinar, sem restrições ao campo de investigação.

Entre as formas de atingir suas finalidades o CEA deverá fortalecer o intercâmbio de professores, pesquisadores, técnicos e estudantes entre Universidades e instituições acadêmicas regionais, nacionais e internacionais, bem como integrar e fortalecer as linhas de pesquisa, grupos de trabalho e projetos inovadores existentes na UFC com alta potencialidade para o intercâmbio no país e no exterior.

Para mais detalhes favor acessar a página do CEA.

 

6 – Instituo Latino-Americano de Estudos Avançados da UFRGS (ILEA/UFRGS)

Estudos Avançados no Brasil / IMEAO ILEA tem por finalidade criar condições efetivas para o desenvolvimento de atividades, programas e projetos de abrangência nacional e internacional que contribuem de forma significativa para o progresso acadêmico, científico, tecnológico e cultural, tendo as seguintes diretrizes:

I – Apoio a programas e projetos avançados de ensino, pesquisa e extensão, privilegiando as propostas que impliquem a colaboração interinstitucional de natureza multidisciplinar;

II – Promoção de intercâmbio entre a Universidade Federal do Rio Grande do Sul e instituições acadêmicas, com o propósito de apoiar projetos de alta relevância para o desenvolvimento acadêmico, científico, tecnológico e cultural.

Para consecução de suas finalidades, o ILEA deverá:

I – Fortalecer o intercâmbio de professores, pesquisadores, técnicos e estudantes entre Universidades e instituições acadêmicas nacionais e internacionais;
II – Integrar e fortalecer linhas de pesquisa, grupos de trabalho e projetos inovadores existentes na UFRGS com alta potencialidade para o intercâmbio no país e no exterior;
III – Promover pesquisas, cursos, conferências, seminários e atividades congêneres em articulação com as unidades e demais órgãos da Universidade;
IV – Apoiar a participação de pesquisadores e docentes da UFRGS nestas atividades e incentivar o intercâmbio com pesquisadores de outros centros;
V – Divulgar a produção acadêmica resultante dos trabalhos, pesquisas e atividades relevantes das diversas áreas do conhecimento;
VI – Estabelecer um centro de informações, mantendo bancos de dados, redes de informação e arquivos de documentos relevantes aos projetos e atividades ligadas ao ILEA.

As atividades do ILEA abrangerão tanto o estudo das ciências quanto o das humanidades, privilegiando a abordagem multidisciplinar, sem restrições ao campo de investigação.

Para mais detalhes acesse a página do Instituto .