Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Três projetos da UNILA foram aprovados no edital do CNPq para Bolsistas de Produtividade em Pesquisa
conteúdo

Pesquisa

Três projetos da UNILA foram aprovados no edital do CNPq para Bolsistas de Produtividade em Pesquisa

Pesquisadores comemoram o reconhecimento das propostas de pesquisas aprovadas e a visibilidade da produção científica na Universidade
publicado: 15/03/2022 12h49, última modificação: 15/03/2022 12h49

A UNILA obteve aprovação de três projetos contemplados em edital do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), do final de 2021. Para grande parte desses projetos, serão liberados recursos da instituição para que sejam executados entre 36 e 60 meses. A vigência das bolsas inicia neste mês de março. Na UNILA, foram contemplados os projetos dos pesquisadores Ramon Blanco, Antonio Rediver Guizzo e Wellington Franciso, que se somam a outros dois pesquisadores já estavam compondo esse time de bolsistas de produtividade em pesquisa: Edna Possan e André Jacomel Torii.

Para o pró-reitor adjunto de Pesquisa e Pós-Graduação, Márcio de Sousa Góes, “a UNILA ter pesquisadores de produtividade do CNPq, em diferentes áreas de atuação, é de muita satisfação para nós, pois mostra maturidade institucional e, o mais importante, que os colegas docentes estão conseguindo avançar e se destacar perante seus pares”. Ele diz que a PRPPG vem atuando, com o apoio da Reitoria, para fomentar e apoiar os pesquisadores da instituição, visando o fortalecimento da pesquisa e, também, da pós-graduação. “Esperamos que, com essas ações, possamos ter, nos próximos anos, mais colegas docentes aprovados como bolsistas produtividade", incentiva ele.

O mesmo sentimento é compartilhado pelos pesquisadores contemplados com a Bolsa Produtividade. Para Wellington Francisco, “quanto mais projetos de pesquisa com fomento, maior a visibilidade para a UNILA no cenário nacional e internacional quanto à produção científica”. O pesquisador Antonio Guizzo analisa que “o aumento do número de bolsas CNPq na instituição demonstra como os professores e pesquisadores da UNILA vêm se esforçando em construir pesquisas de qualidade e com resultados consistentes, visto a elevada concorrência em tais editais”.

Para Ramon Blanco, com esse resultado, a UNILA tem um expressivo crescimento no número de Produtividade em Pesquisa, mas chama a atenção sobre a necessidade de promover mais fomento à pesquisa no orçamento da instituição para que ela possa ter mais bolsistas e, também, observar o desiquilíbrio existente em termos de raça e gênero. “Só assim teremos um horizonte de pesquisa, como instituição, e não como indivíduos. Fazer realmente pesquisa forte, pujante e com resultados de elevado impacto positivo no cenário científico nacional e internacional”, defende. Conheça um pouco mais sobre os três projetos aprovados, de acordo com seus proponentes.

Descolonizando a paz: (re)pensando a paz para além da colonialidade

O objetivo central do projeto apresentado pelo pesquisador Ramon Blanco é investigar o potencial resultante da teorização acerca da paz e da sua construção no cenário internacional, a partir de uma problematização que reflita a política internacional a partir da América Latina. Neste sentido, o projeto desenvolve uma investigação na qual a colonialidade é o principal elemento estruturante da política internacional – diferente do que é predominantemente desenvolvido na área dos Estudos para a Paz e das Relações Internacionais.

Para o pesquisador, isso traz consequências profundas ao modo pelo qual a paz e a construção desta são teorizados. Como resultado principal, o projeto fornecerá tanto subsídios teórico-conceituais quanto caminhos ontológicos, epistemológicos e metodológicos, pelos quais uma problematização que teorize a paz e a sua construção a partir da América Latina pode percorrer e assentar-se.

Nesse sentido, Ramon Blanco espera que estes elementos possam servir de alicerce para uma reflexão e uma análise acerca da paz e da sua construção. E, por consequência, fundamentar práticas relacionadas aos processos de reconstrução pós-bélica que se desenvolvem no âmbito das relações internacionais, mais condizentes e próximas das diferentes realidades presentes nas periferias do cenário internacional.

Imaginários da violência na literatura latino-americana contemporânea

O projeto do pesquisador Antonio Rediver Guizzo situa-se na área de Literatura Comparada e tem como objetivo investigar as figurações da violência em obras literárias contemporâneas de autores da América Latina. De acordo com Guizzo, o projeto estrutura-se a partir da compreensão de que literatura e violência são construções sócio-históricas que compartilham as mesmas condições materiais. Nesse sentido, as criações literárias tornam-se vias de acesso tanto para o entendimento dos processos estéticos surgidos em determinado tempo e espaço quanto para a percepção, compreensão e denúncia das condições sociais que originam o fenômeno da violência.

Nessa proposta, o projeto desdobra-se no recorte “literaturas do fim do mundo” e visa investigar obras literárias latino-americanas distópicas produzidas nas últimas duas décadas. Para o pesquisador, crises democráticas têm originado a produção de narrativas que tematizam a ascensão de regimes totalitários e líderes autoritários ao poder, o cerceamento de direitos e de interesses de opositores e minorias étnicas, raciais e religiosas, a intolerância à livre expressão de sexualidades não-heteronormativas, a redução de migrantes e grupos economicamente desprivilegiados, o aprofundamento da exploração dos recursos naturais e de outras espécies animais, e o agravamento das condições de trabalho.

Além da perspectiva investigativa, Guizzo afirma que se compreende, no projeto, a violência como limitador da qualidade de vida no país e no continente, cabendo também ao campo das pesquisas literárias promover a literatura enquanto discurso humanizador e transformador da sociedade, formador de responsabilidades democráticas e consciência humanitária, e estímulo ao exercício consciente e ativo da cidadania. A partir dessas dimensões o projeto pretende auxiliar a formação de recursos humanos para a atuação docente no ensino básico e superior, como também a formulação de estratégias de popularização do conhecimento científico à comunidade geral.

O papel do teatro científico na educação em ciências

O projeto do pesquisador Wellington Francisco foi contemplado na área divulgação científica e, segundo ele, surge de duas necessidades em relação ao papel do teatro científico na educação em Ciências. A primeira delas é intensificar a divulgação científica para contribuir com melhorias na relação interdisciplinar entre cultura e arte para o ensino de ciências, ofertado na educação básica das escolas da região de Foz do Iguaçu. E a segunda é a de identificar como o uso do teatro científico fomenta aspectos relacionados à formação docente e ao processo de aprendizagem de conhecimentos científicos em um contexto não formal de ensino.

Para atingir esses objetivos, o pesquisador pretende utilizar-se das características do teatro como uma abordagem teórico-metodológica, que abrange desde o processo de elaboração das peças e suas nuances até a promoção da divulgação científica e seus impactos no fomento do desenvolvimento humano na região da tríplice fronteira.

Wellington explica que o projeto será executado nos próximos três anos e a expectativa de é proporcionar a aprendizagem científica a partir do teatro, analisando diversos aspectos sobre o processo, assim como analisar o impacto na formação docente inicial com a temática.

registrado em: