Você está aqui: Página Inicial > Notícias > UNILA apresenta Programa Agenda Tríplice a diplomata e cônsules do Brasil e da Argentina
conteúdo

Pesquisa

UNILA apresenta Programa Agenda Tríplice a diplomata e cônsules do Brasil e da Argentina

Programa visa dar apoio a atividades de pesquisa que abordem temas prioritários para o desenvolvimento da tríplice fronteira
publicado: 14/09/2018 18h37, última modificação: 12/01/2019 00h19
Encontro foi realizado no início do mês, na UNILA - Vila A

Encontro foi realizado no início do mês, na UNILA - Vila A

O Programa Institucional Agenda Tríplice foi instituído pela UNILA, neste ano, com o objetivo de apoiar projetos de pesquisa voltados ao estudo de temas prioritários para os desafios da tríplice fronteira. Em reunião no último dia 6, a iniciativa foi apresentada a Roberto Ramón Lafforgue, cônsul da Argentina em Foz do Iguaçu; Luiz Galindo de Medeiros, cônsul do Brasil em Puerto Iguazú; e Julia Salles Amaral, diplomata do Ministério das Relações Exteriores do Brasil.Encontro foi realizado no início do mês, na UNILA - Vila A

O reitor Gustavo Oliveira Vieira destacou que os cônsules e a diplomata ficaram satisfatoriamente surpreendidos com o Programa. “Pudemos também ouvi-los na condição de atores na construção da agenda desse programa institucional para que o edital, que será lançado no Dia C da Ciência, permita um diagnóstico mais preciso possível. Há um desafio de compreender essas fronteiras e os desafios que elas apresentam em termos de políticas públicas. E o Programa Agenda Tríplice só reforça o papel que a UNILA tem a desempenhar aqui na região”, explica.

“O Programa me parece excelente, pois trata de temas dessa fronteira tão particular, com sua dinâmica e sua personalidade. Acredito que todos os atores envolvidos são muito importantes, e com certeza o Governo da Província de Missiones estará muito interessado em participar desse projeto”, afirma o cônsul argentino Roberto Ramón Lafforgue.

De acordo com o cônsul brasileiro Luiz Galindo de Medeiros, o Programa Agenda Tríplice vai ao encontro da política de relações exteriores brasileira. “É uma oportunidade de estabelecer parâmetros de cooperação importantíssimos entre a academia e as ações de governo. Em relação às áreas a serem abordadas, há um leque variado. Inicialmente, eu citaria as áreas da saúde, comércio e, principalmente, de facilitação do trânsito fronteiriço e da integração das comunidades”, ressalta.

Na mesma linha, a diplomata Julia Salles Amaral vê a iniciativa como de suma importância para fornecer subsídios a um projeto de integração fronteiriça. “A missão da UNILA é vista por nós como uma força para justamente promover a integração das fronteiras e, por isso, é de grande relevância essa parceria entre o âmbito acadêmico e da política pública”, complementa.

Além do reitor, representaram a UNILA na reunião a pró-reitora de Relações Institucionais e Internacionais, Diana Araújo Pereira; o chefe do Departamento de Pesquisa, Rodrigo Cantu de Souza; a chefe do Departamento de Pós-Graduação, Liciane Roling; e o assessor da Reitoria para a PRPPG, Marcelo Cezar Pinto.

Agenda Tríplice

O Programa Institucional Agenda Tríplice visa contribuir para a integração e o desenvolvimento científico, tecnológico, econômico, social, político, cultural, artístico e ambiental da tríplice fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai; e para a consolidação da UNILA como instituição de referência internacional e de excelência acadêmica em estudos de fronteira. Dessa forma, irá apoiar projetos de pesquisa, em diversas áreas de conhecimento, voltados ao estudo de temas prioritários para a agenda de desafios da tríplice fronteira.

Está, ainda, entre os objetivos do Programa o de contribuir para a formação de pesquisadores e de quadros profissionais de alto nível, aptos a cooperar para a integração da tríplice fronteira e a constituir grupos de pesquisa avançada e em rede sobre estudos de fronteiras, com articulações nacionais e internacionais.

Além da Agenda Tríplice, a UNILA estabeleceu outros dois programas institucionais que obedecem à mesma estrutura, apenas alterando o escopo da política. São eles: o Programa Prioridade América Latina e Caribe e o Programa de Apoio aos Grupos de Pesquisa.