Você está aqui: Página Inicial > Especialização > Especialização em Relações Internacionais Contemporâneas > Especialização em Relações Internacionais Contemporâneas
conteúdo

Especialização em Relações Internacionais Contemporâneas

publicado 08/12/2017 12h06, última modificação 29/06/2021 11h25
Apresentação

No contexto do fim da Guerra Fria e de expansão dos processos transnacionais compreendidos dentro das dinâmicas de globalização a partir dos anos 1990, diversos prognósticos de paz, prosperidade e democracia foram feitos para o “novo milênio”. Analistas mais otimistas chegaram a declarar o “fim da história”. No entanto, podemos observar que, entre a última década do século XX e o início do século XXI, o cenário internacional, ao contrário das previsões, seguiu altamente complexo no que tange aos desafios de compreender seus processos políticos, econômicos, culturais, militares e sociais.

Os confrontos internacionais seguiram em curso e sinalizaram a emergência de guerras e conflitos civis, novos tipos de violências, novos padrões de relacionamentos entre os Estados e novos temas na agenda da política internacional, incluindo a ressignificação política e a ênfase de temáticas que despontam como o “núcleo duro” da alta política internacional nas primeiras décadas dos anos 2000, como o terrorismo. Isto posto, o objetivo geral deste curso é analisar as relações internacionais contemporâneas a partir da sua complexidade e oferecer conteúdos e ferramentas teórico-críticas para a compreensão do descompasso entre as previsões e o cenário real das relações internacionais.

O corpo docente do curso é formado por 12 professores do Instituto Latino-Americano de Economia, Sociedade e Política (ILAESP), com experiência acadêmica na área de Relações Internacionais (sendo 9 doutores). O curso inicia-se no primeiro semestre letivo de cada ano, com 40 vagas para ampla concorrência e 4 vagas para servidores técnico-administrativos em educação da UNILA (Resolução COSUEN 56/2014), e tem duração mínima de 18 meses. Os estudantes precisam cursar 7 disciplinas obrigatórias e, no mínimo, 1 disciplina optativa, além de apresentar um trabalho de conclusão ao final do curso.

Primeira turma

Cento e oitenta candidatos se inscreveram no primeiro processo seletivo, e a primeira turma deu início ao curso em abril de 2016. Além das disciplinas, os estudantes tiveram uma Aula Inaugural ministrada pelos professores Fernando Romero e Paula Fernández. Na ocasião, o professor Romero lançou o livro “El imperialismo y el agro argentino” (Buenos Aires, Ediciones CICCUS/Foz do Iguaçu, EDUNILA, 2016), e a professora Paula lançou o livro “Nicaragua debe sobrevivir” (Buenos Aires, Ediciones Imago Mundi, 2015).

Dentre outros eventos, na 1ª Semana Acadêmica de Relações Internacionais, um grupo de estudantes do curso apresentou trabalhos na modalidade de comunicação coordenada. Para setembro de 2017, estava previsto o seminário de apresentação dos trabalhos de conclusão de curso.

Segunda turma

Professores e estudantes propuseram algumas alterações no projeto do curso, visando seu melhor andamento. Como consequência, foram incluídas disciplinas optativas, e as aulas que ocorriam todos os finais de semana foram distribuídas de forma a proporcionar um intervalo entre as disciplinas e um recesso no meio do ano.

Cento e sessenta e dois candidatos se inscreveram no segundo processo seletivo 2017. Oriundos das cidades da Tríplice Fronteira e de diversas partes do Brasil, Paraguai, Argentina e Colômbia, os estudantes da segunda turma participaram do 1º Seminário da Pós-Graduação, realizado em outubro de 2017. Na ocasião, foram apresentados os Trabalhos de Conclusão de Curso da primeira turma.

Além das aulas, os 88 estudantes do curso (primeira e segunda turmas) participaram de uma palestra e do lançamento do livro do professor Fábio Aristimunho Vargas, intitulado “Formação das Fronteiras Latino-Americanas”, publicado pela Editora da Fundação Alexandre de Gusmão. 

Para mais informações sobre o curso, clique em Projeto Pedagógico, no menu à esquerda.