Você está aqui: Página Inicial > Notícias > "Vivendo livros latino-americanos" inaugura biblioteca em escola pública do Paraguai
conteúdo

Extensão

"Vivendo livros latino-americanos" inaugura biblioteca em escola pública do Paraguai

Em 2017, projeto já havia entregue para a comunidade iguaçuense uma biblioteca na Escola Municipal Brigadeiro Antonio de Sampaio
publicado: 29/05/2018 12h03, última modificação: 12/01/2019 00h18

O projeto de extensão “Vivendo livros latino-americanos na Tríplice Fronteira” inaugurou a biblioteca da Escuela San Agustin, na cidade vizinha de Ciudad del Este. A inauguração ocorreu após um processo que vai além da construção do espaço, mas que envolveu também a catalogação do acervo já existente, a aquisição de novos livros e um processo de formação pedagógica para leitura no ambiente escolar. Esta é a segunda biblioteca inaugurada pelo projeto. Em março de 2017, foi entregue para a comunidade a biblioteca da Escola Municipal Brigadeiro Antonio de Sampaio, localizada na zona rural de Foz do Iguaçu. O plano é de expandir o projeto também para Puerto Iguazú, no ano que vem.

Contação de histórias

 

 

 

 

 


O trabalho na escola de Ciudad del Este tem, entre seus desafios, as diferenças culturais, linguísticas e de infraestrutura da comunidade em que a escola está inserida. Conforme a coordenadora do projeto, professora Mariana Cortez, lidar com duas línguas diferentes – o espanhol e o guarani – trouxe a necessidade de incluir obras em guarani, consolidando a proposta de uma biblioteca intercultural. Outro desafio foi o de mobilizar a comunidade da escola e de seu entorno para apropriar-se do espaço – ação que será potencializada com as atividades pedagógicas que estão sendo desenvolvidas semanalmente por alunos e docentes da UNILA.

O projeto pretende propor mudanças continuadas no processo pedagógico de ensino, ao incluir a leitura e a literatura como atividades cotidianas das escolas. “A ideia da contação é sempre partir de um livro. Trabalhamos em cima da teoria basicamente de que a leitura em voz alta e compartilhada acaba desenvolvendo a expressão oral nas crianças. As histórias são contadas de forma que as crianças comecem a criar argumentos e desenvolver a reflexão posterior à história e antecipações”, explica Mariana Cortez, docente de Línguas da UNILA. Ela relata ainda que, nesse processo, percebe-se que as leituras trabalham muito com as referências dos alunos. “As obras que a gente escolhe trazem muitas memórias dos estudantes, o que eles estão passando, e mexe muito com suas histórias de vida. E é por aí que a gente vai”, ressalta.

Projeto na Região Trinacional

A criação de espaços destinados aos livros dos anos iniciais do ensino fundamental, nas três cidades fronteiriças, é uma das etapas do projeto “Vivendo livros latino-americanos na Tríplice Fronteira”, que reúne pesquisa e extensão. A atividade começou com um trabalho de levantamento e definição das escolas que seriam foco dos trabalhos. A equipe do projeto mapeou as escolas públicas de Foz do Iguaçu, Ciudad del Este e Puerto Iguazú, e as que estavam em um contexto de maior vulnerabilidade e com pouco acesso aos bens culturais. Definidas as três escolas em cada país, iniciaram-se as tratativas de criação do projeto, contando com a atuação de membros da escola, ao disponibilizar o espaço que seria utilizado pela biblioteca.

A partir do trabalho de organização dos acervos, foram catalogados aproximadamente 1.000 livros no Brasil, 1.200 livros na Argentina e 300 livros no Paraguai. Com os acervos organizados e catalogados, realizou-se o trabalho de remodelagem dos espaços disponibilizados pelas escolas por meio de ações que envolviam a comunidade. E, uma vez pronto o espaço da biblioteca, entrou em cena o trabalho pedagógico, elaborado pela equipe do projeto, e as atividades que envolvem os docentes e discentes das escolas. As atividades na Escola Municipal Brigadeiro Antonio de Sampaio, em Foz do Iguaçu, seguem até hoje, um ano depois da entrega da biblioteca remodelada.

Histórias são contadas de forma que as crianças comecem a criar argumentos e desenvolver a reflexãoAtividades lúdicas realizadas com crianças na escola incluem peças de teatro e música

 

 

 

 

 

 


Saiba mais sobre o projeto e atuação em escola brasileira.