Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Estudantes de Música lançam disco com referências à cultura e à natureza na fronteira
conteúdo

Identidade UNILA

Estudantes de Música lançam disco com referências à cultura e à natureza na fronteira

Letícia Lima da Silva e Martín Rozengurt trazem suas histórias e aprendizados para o disco “Salve Selva”, obra financiada pelo governo argentino, já disponível em diversas plataformas digitais
publicado: 29/03/2023 14h40, última modificação: 31/03/2023 13h58

Sí, tenemos música sobre y producida en la frontera. Essa poderia ser a expressão para afirmar que há, na região, um campo vivo de produção musical e que recorre às melhores fontes para traduzir sentimentos que aqui são cultivados. E um pouco disso pode ser encontrado no disco “Salve Selva”, gravado no estúdio da UNILA e produzido pelos estudantes Letícia Lima Celestino da Silva, brasileira e caloura do curso de Música com ênfase em canto; e Eduardo Martín Rozengurt, argentino e também estudante do curso com ênfase em violão.

Também participam do projeto o professor Felipe José (flauta transversal na faixa título) e os estudantes de Música Marina Araldi (voz) e Pedro Brito (percussão). O disco tem, ainda, a participação de estudantes argentinos.

A mistura de linguagens e culturas e a sinergia com questões próprias de seus países deram origem ao disco que já está disponível nas principais plataformas digitais. O projeto contou com apoio do governo argentino, por meio do "Fondo Nacional de las Artes", e foi um dos selecionados da Becas Creación 2021.

Eduardo conta que as sete músicas do disco retratam a cultura da Tríplice Fronteira e o resultado desse processo coletivo é representado em sete ritmos diferentes, que incluem o forró, o samba, e a mistura de grooves afro, harmonias e melodias de jazz, que dançam entre improvisos de sopros, mantras e sons da natureza. “O intuito é de lembrar nossa conexão com o divino, partindo do simples, do cotidiano, valorizando a abundância que brinda a natureza”, reforça ele.

As referências em relação à vida da fronteira são nítidas nas obras como Tierra Guarani, Salve Selva, Chipa Guazú, por exemplo. Em Tierra Guarani, a poesia da fronteira é muito presente, como no trecho: “Tierra guaraní, verde litoral en la mañana invade el aire el canto del zorzal. Agradecer, al despertar, un mate amargo, a la luz del alba. Tierra colorada y el anhelo de resguardar, su templo ancestral”. Em Salve Selva, a linha condutora é a busca por conexões com a natureza: “Tua beleza é a mais linda que há (…) tua beleza aprender a respeitar”.

No repertório, as canções são todas originais, algumas cantadas em português, outras em espanhol, e há ainda as músicas instrumentais. Trata-se de uma imersão cultural muito rica e que consegue ecoar ainda mais por aqueles que conhecem bem a região.

“Salve Selva” pode ser acessado por meio das plataformas YouTube, Stotify, Apple Music, Deezer e Amazon Music. Acesse o disco e saiba mais sobre a obra e os autores.

registrado em: , ,