Você está aqui: Página Inicial > IMEA > Integração e Cultura > Acolhimento Estudantil
conteúdo

Acolhimento Estudantil

publicado 06/05/2019 17h36, última modificação 06/05/2019 17h36
O Instituto MERCOSUL de Estudos Avançados (IMEA-UNILA), através do Edital Nº 1/2018 IMEA-PROINT-PRAE-PROEX-PROGRAD-REITORIA, realiza o acompanhamento e gestão de ações de acolhimento a estudantes ingressantes na UNILA em 2019

O projetos são orientados pela valorização da diversidade cultural, do plurilinguismo, dos saberes prévios e das culturas de origem dos(as) estudantes ingressantes, assim como pelo exercício e manutenção de relações harmoniosas, visando o bem-estar, as relações solidárias e de respeito e ajuda mútua.

 

 

Entre as ações selecionadas estão:

 

1. Nome do projeto: Gênero e diversidade no acolhimento às estudantes nacionais e internacionais ingressantes na UNILA em 2019

Coordenação: Cleusa Gomes da Silva

Contato: cleusa.gomes@unila.edu.br

Resumo: A proposta desse projeto de acolhimento às estudantes pelo marcador da diferença, de raça, gênero e diversidade, faz parte do trabalho que já realizei na instituição e comunidade com os Encontros pela Diversidade e a criação do Observatório de gênero e diversidade na América Latina e Caribe (Portaria Imea no 003/2018, de 21 de junho de 2018). Essa proposta vem somar a estes projetos já em andamento na universidade, pela necessidade de propor ações efetivas na Instituição e abordar os temas da violência de gênero/transgênero, lesbofobia, transfobia e do acolhimento à todas as formas de existência e diversidades, bem como uma das ações de prevenção e política de permanência e combate à evasão das estudantes ingressantes em 2019. Prevemos na execução deste projeto rodas de conversa, palestras com profissionais que trabalham na rede especializada de atendimento à mulher na cidade, sensibilização da comunidade (ingressantes), visitas e informações sobre as redes de atendimento mulheres e LGBT em situações de violências: defensorias Públicas, delegacia da Mulher, hospital municipal de Foz, Unidade de pronto atendimento, centro de Referência especializado de Assistência social (CREAS), Centro Referência em Atendimento à Mulher em Situação de Violência (CRAM) e apresentação das redes de solidariedade que acompanham e trabalham com as temáticas da diversidade na cidade e na universidade. Para finalizar objetivamos também recolher dados dos perfis das ingressantes para que possam pautar as ações futuras de acolhimento às estudantes pelo NIPPEI, (CEEGED) e do observatório de Gênero e diversidade na América Latina e caribe, com ações contínuas voltadas para as temáticas de identidades de gênero das estudantes ingressantes em 2019.

 

2. Nome do projeto: Conhecimentos de Ori: ancestralidade e vivências artísticos-culturais Negras na América Latina e Caribe

Coordenação: Angela Maria de Souza

Contato: angela.souza@unila.edu.br

Resumo: A proposta de ação de acolhimento aqui apresentada, visa ampliar a discussão sobre as questões étnico-raciais, no contexto da diáspora afro-latino americana e caribenha através da literatura, da poesia, da música e de outras formas de conhecimento produzidos pelas populações negras no contexto de diáspora. Através da literatura, poesia, música e as diversas práticas, ligadas ao contexto religioso, político, de gênero, e que marca as populações negras nas Américas, pretendemos criar um espaço de debate que envolva as comunidades acadêmica e externa e os novos estudantes que chegam à Unila para discutirmos temas como racismo, preconceito, desigualdade, assim como gênero, ações afirmativas, políticas públicas, inclusão social através das práticas artístico-culturais que estaremos apresentando, a partir das ações de nossos estudantes, veteranos e calouros. A proposta é discutirmos como as práticas artístico-culturais, são formas de trazermos conhecimentos que são produzidos por populações negras na diáspora, ao mesmo tempo em que são formas de posicionamentos político-raciais que nos marcam na luta contra as desigualdades.

 

3. Nome do projeto: ​ Tapeguahê poräite tekoha guasu UNILA

Coordenação: Pedro Louvain

Contato: pedro.oliveira@unila.edu.br

Resumo: O projeto Tekoha Guasu vem desde 2014 ininterruptamente realizando ações extensionistas de Educação Patrimonial, constituindo uma ponte de relação dialógica entre a comunidade externa e a UNILA na área da memória e patrimônio cultural. Nesta ação, o objetivo é realizar uma série de atividades de acompanhamento pedagógico e ambientação a vida acadêmica dos ingressantes Indígenas, visando sua integração à comunidade universitária e à cidade de Foz do Iguaçu de forma mais ampla. Serão realizados encontros em variados espaços, de forma que haja pouco impacto na carga horária regular das disciplinas e que as ações sejam realizadas da forma mais prazerosa possível. A proposta possui 3 Eixos de atuação, a saber: 1) Capacitação indígena na esfera prática do tripé universitário e sua indissociabilidade; 2) Educação Patrimonial e Direitos Culturais Indígenas; 3) Acompanhamento Motivacional e Pedagógico.

 

4. Nome do projeto: Contacto Bilíngue

Coordenação: Bruno Andre Diaz Forgel

Contato: contactobilingue.unila@gmail.com

Resumo: Nuestro equipo de trabajo pretende introducir a los ingresantes dentro de la comunidad Iguazuense con las herramientas suficientes para su desarrollo como ciudadanos; siendo un apoyo para los estudiantes hispanohablantes en su adaptación a la lengua portuguesa. Así, oferecemos a los participantes orientación sobre su vida académica dentro de la UNILA (sedes, servicios, oportunidades de crecimiento, recreación) y sobre la convivencia con la comunidad local (comunidad, sistemas de salud y transportes, servicios, alimentación), dichas capacitaciones estaránacompañadas de actividades de recreación (culturales, holísticas, deportivas, paseos) en asociación con otros proyectos de la Universidad, lo que les permitirá integrarse a la comunidad académica y conocer colegas de una forma más amena.

 

5. Nome do projeto: OGA – Capivaras em casa!

Coordenação: Bruna Baldasso

Contato: projetooga@gmail.com

Resumo: Consiste em um site, onde serão divulgados os imóveis disponíveis na cidade para locação. Além disso, contará com uma página no Facebook que oferecerá dicas para os calouros,divulgações dos imóveis e estará disponível para sanar quaisquer dúvidas que frequentemente os mesmos possam ter! O projeto OGA têm como objetivo facilitar a locação de imóveis para estudantes, ajudando a entrada dos mesmos na universidade. Além da divulgação de dicas importantes para os calouros serem bem acolhidos ao chegarem na cidade!

 

6. Nome do projeto: Capibara, integrados como Abya Yala. Recibimiento de estudiantes unileros 2019

Coordenação: Carla Andrea Contreras Contreras

Contato: proyectocapibaraunila@gmail.com

Resumo: Basándonos en el principio de integración que visa la UNILA como institución, las acciones de nuestra propuesta se componen de: puntos de información en el espacio de recepción del JU, una charla de orientación sobre su desarrollo dentro de la UNILA (sedes, servicios, oportunidades de crecimiento para los estudiantes, recreación) y sobre la convivencia dentro de la comunidad (sistema de salud, seguridad y transporte, servicios, alimentación y entretenimiento). Dichas capacitaciones estarán acompañadas encuentros posteriores con actividades culturales y de recreación, así como paseos que ayudarán al estudiante a integrarse con sus colegas y con la comunidad.

 

7. Nome do projeto: Caminhos da Tríplice Fronteira

Coordenação: Stephany Mencatto

Resumo: Apresentar cachoeiras, parques e trilhas da região de Foz do Iguaçu, Puerto Iguazú e Ciudad del Este, de acessos gratuitos e públicos, por meio de caminhadas e com a utilização do transporte coletivo local.

 

8 - Nome do projeto: ​ Promoção da Saúde Mental

Coordenação: Maria de Lourdes Aquino Echeguren

Contato: marialu82@gmail.com

Resumo: O ingresso e permanência na universidade se constitui como um desafio significativo para os estudantes, tendo em conta que representa um ambiente novo, relações tanto acadêmicas como sociais diferentes que podem impactar na saúde mental de diversas formas por isso o projeto de acolhimento “PROMOÇÃO DA SAÚDE MENTAL DOS ESTUDANTES NACIONAIS E ESTRANGEIROS INGRESSANTES NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO AMERICANA – UNILA” tem por objetivo fortalecer as condições de acolhimento e permanência por meio de ações para a promoção da saúde mental dos estudantes ingressantes na UNILA no primeiro período letivo de 2019; promovendo um ambiente solidário e redes de apoio para auxiliar no processo de adaptação e bem-estar na universidade e na cidade de Foz do Iguaçu, através de encontros com os estudantes ingressantes para a realização de oficinas, palestras e rodas deconversa, que visem orientar sobre temáticas como: Saúde Mental na Universidade, Assistência Estudantil e rede de proteção social em Foz do Iguaçu; exibição de filmes temáticos sobre saúde mental seguido de debates; orientações sobre Segurança Alimentar e outras temáticas que possam vir a ser demandadas. As ações serão desenvolvidas em parceria com profissionais, docentes e estudantes do Curso de Serviço Social e de outros cursos como Desenvolvimento Rural e Segurança Alimentar (DRUSA), Medicina e Movimentos Sociais, assim como com Psicólogos e profissionais de distintas áreas.

 

9 - Nome do projeto: EMPODERANDO-ME DO NOVO SISTEMA DE SAÚDE: Atendimento Local do Sistema Único de Saúde no Município de Foz do Iguaçu

Coordenação: Gladys Amelia Benito

Contato: gladys.benito@unila.edu.br

Resumo: O município de Foz do Iguaçu experimenta, a cada ano, um incremento na sua base populacional, sendo a UNILA responsável ativa pela inserção de novos cidadãos, de nacionalidades várias, que vêm morar na cidade na busca de terminar sua formação superior. A compreensão desta proposta e, consequentemente, do SUS, implica o entendimento dos seus objetivos finais, de prestar assistência à população a partir do modelo de promoção da saúde, resultando no desenvolvimento de ações que buscam eliminar ou controlar as causas das doenças e dos agravos; proteger a saúde da população, mediante ações específicas para prevenir riscos e exposições às doenças; e oferecer ações de recuperação da saúde de forma a evitar mortes e sequelas em pessoas já acometidas por processos mórbidos. É nesse sentido que este projeto acredita no acolhimento e no empoderamento estudantil, promovendo a integração social e contribuindo para a manutenção dos estudantes na universidade, influenciando de forma positiva o reconhecimento dos determinantes do acesso e utilização dos serviços de saúde, de forma a contribuir para que os estudantes tenham pleno acesso ao que está instituído no Brasil, é também importante que eles sejam informados sobre seus direitos garantidos em lei.

 

10 - Nome do projeto: ​ Vamos em bici: Mobilidade ativa e integração

Coordenação: Karol Mendes Pata

Contato: ​ karolpata@hotmail.com​ ; ​ vamosdebikee@gmail.com

Facebook: ​ www.facebook.com/bicilatina​ Instagram: vamos.en.bici

Resumo: Reciclamos, montamos e estão disponíveis para uso coletivo livre para toda a comunidade academica, as “INTERBICIS”, que são bicicletas para facilitar o trajetoentre os campi! Não sabe andar de bicicleta? Tem medo? Vamos ajudar nessa superação de forma coletiva, com o grupo de “Bike Anjo Unilerx”. Desenrolamos com encontros ao longo desse semestre, para nos conhecermos, aprender a adquirir e ajustar a bicicleta para cada pessoa, conversar sobre direito à cidade, mobilidade ativa, cicloativismo e leis de trânsito, além disso, é importante conhecer um pouco a história da bicicleta, como também fomentar a autonomia com oficina de manutenção básica, debater gênero e bicicleta (uma vez que as mulheres ainda são minoria nos pedais), fazer arte pintando umas camisetas, sair para pedalar pela região próxima a Universidade para desfrutar e saber o que tem por aí, trocar idéia sobre o movimento estudantil da Unila, conhecer os produtores de alimento locais e para “finalizar”vamos celebrar juntxs em uma grande pedalada pela cidade! Reciclamos, establecimos y ya están disponibles para el uso colectivo libre para toda la comunidad academica, las “INTERBICIS”, que son bicicletas para facilitar los trayectos entre los campi! No sabes pedalear? Tienes miedo? Vamos ayudar en esa superación de forma colectiva, con el grupo “Bike anjo Unilerx” (Bici Ángel Unilerx). Trabajamos con encuentros a lo largo del semestre con el objetivo de conocernos, aprender cómo adquirir y ajustar una bicicleta para cada persona, hablaremos acerca de las leyen en la ciudad, movilidad activa, ciclo activismo y leyes de tránsito. Además, es importante conocer un poco la historia de las bicicletas, como también fomentar la autonomía con taller de mecánica básica, discutir gênero y bicicleta (una vez que las mujeres aún son minoría en los pedales), hacer arte pintando unas camisas, salir a pedalear por la región cerca de laUniversidad para disfrutar y conocer outros lugares que se encuentran por ahí, charlar acerca del movimiento estudiantil de la Unila, conocer los productores de alimento locales y para el “final” vamos a celebrar juntxs en una gran pedaleada por la ciudad!

 

11. Nome do projeto:​ ​ II Festival Cultural da Integração

Coordenação: Lívia Brito Barbosa

Contato: festivalintegracao@unila.edu.br

Resumo: O segundo Festival Cultural da Integração visa promover a integração da diversidade cultural da UNILA, acolhendo os estudantes ingressantes e aproximando a comunidade da região. Para isso, assim como na primeira edição, serão promovidas exposições (artesanato, pinturas, fotografias, etc) e apresentações culturais (musicais, teatrais, dança, recital) realizadas pela comunidade da UNILA e por convidados do público externo à universidade que possam promover o ambiente integrador entre a UNILA e a Comunidade.

 

12. Nome do projeto: Consciência em transe: integração e diversidade.

Coordenação: Maykon Cesar Loures silva

Contato: ​ maykoncesar58@gmail.com​ 

Resumo: O objetivo do presente projeto é proporcionar a comunidade acadêmica acesso e conhecimento referente às práticas integrativas e holísticas, tais como meditação, Reiki, terapia com cristais, aromaterapia, etc. Com fim de promover saúde e equilíbrio mental, e fomentar o autocuidado na vida cotidiana. Além disso o resgate cultural/ancestral de técnicas de cura natural e energética que foram sonegadas ao longo dos tempos.

 

13. Nome do projeto: ​ Talleres de integración atravez de la danza

Coordenação: ​ Paula Andrea Beltrán Vargas

Contato: ​ beltran03v@hotmail.com

Resumo: El taller tiene como objetivo fortalecer la integración cultural a través de las danzas folclóricas de América Latina, rescatando la riqueza del folclore de cada país. Además, le brinda a los participantes la oportunidad de interacción social, representación e identificación y de este modo mantener su espíritu creativo y recreativo donde los asistentes desarrollaran trabajo em equipo basado en la organización y coordinación.

 

14. Nome do projeto: Marmitinha Unilera

Coordenação: Eduard Lucas Souza Araújo

Contato: eduard.souza.araujo@gmail.com​ 

Resumo: O Marmitinha Unileira vem com a proposta de apresentar opções fáceis e econômicas para a alimentação na universidade. O primeiro passo para isso será a apresentação da culinária típica da cidade de Foz do Iguaçu, os alimentos mais consumidos e onde encontrá-los. Após mostrar as opções de alimentação, o trabalho continuará por meio de oficinas onde serão demonstradas maneiras práticas de cozinhar, transportar e consumir os alimentos, trazendo diversas idéias de marmitas que possam ser consumidas no âmbito da universidade. Por fim, o projeto trará ainda informações sobre a alimentação universitária através de palestras com profissionais da área. Tudo isso pra que a alimentação não se torne uma barreira, mas sim uma aliada na jornada unileira.

 

15.Nome do projeto: ​ Acolhimento CEEGED

Coordenação: Regiane Cristina Tonatto, Carla Gastaldin e Maria Aparecida Webber

Contato: ​ regiane.tonatto@unila.edu.br​ ; ​ carla.gastaldin@unila.edu.br​ ; maria.webber@unila.edu.br e ceeged@unila.edu.br

Resumo: Rodas de conversas e oficinas com temas relacionados à saúde da mulher. Preferência por métodos e tratamentos naturais, como por exemplo, a ginecologia natural. Acolhimento de mulheres (refugiadas, portadores de visto humanitário e indígenas) por meio da escuta de suas vivências, resgatando os saberes próprios as suas culturas e possibilitando que possam colocar em palavras os sentimentos que experimentam no processo em que se encontram.

 

16.Nome do projeto: ​ Oficinas comunitárias de percussão e dança de Maracatu

Coordenação: Rodrigo Birck Moreira

Contato: rodrigo.moreira@unila.edu.br

Resumo: O projeto oferece oficinas de percussão e dança de maracatu junto ao grupo Kaburé Maracatu, que desenvolve suas atividades na Vila C Nova desde 2016, como forma de integrar os alunos da instituição à comunidade. As oficinas perpassam diversos tipos de conhecimento. De forma contínua, os alunos são introduzidos à história do maracatu e as suas raízes étnicas e religiosas, a partir de exposições orais (forma tradicional da reprodução do conhecimento nas culturas de matriz afro-brasileira) embasadas em estudos prévios e vivências nas próprias nações de maracatu e em terreiros de candomblé pelos proponentes das oficinas. Para além destes conhecimentos, em cada oficina são estudados e repassados os distintos toques das várias nações de maracatu, em cada instrumento utilizado (caixa-de-guerra, agbes, mineiros, gonguês e alfaias), sendo coordenados por Rodrigo Birck Moreira, técnico administrativo e mestrando do PPG-LC, que já atua junto a grupos de maracatu há 10 anos, e também os passos de dança do corpo de dança do maracatu, oriundos das danças dos orixás, sendo coordenados por Izabela Fernandes de Souza, graduada em LAMC pela Unila e mestranda do PPG-IELA, que atua com teatro e danças africanas. Tanto as práticas percussivas quanto de dança são ministradas na Praça da Mentira, na Vila C Nova, ponto central do bairro e que recebe toda a comunidade nos finais de semana, fator que gera uma inclusão única dos ingressantes com a comunidade e o entorno onde serão acolhidos.

 

17.Nome do projeto: ​ Capoeira: autonomia para gingar na fronteira

Coordenação: Thierri Azevedo de Ornela

Contato: ta.ornela.2018@aluno.unila.edu.br

Resumo: A capoeira é uma expressão cultural, tipicamente brasileira, que foi criada pelos negros escravos trazidos da África. Os negros foram trazidos ao Brasil para que trabalhassem como mão-de-obra escrava no período da colonização, viviam em situação insalubre e constantemente eram violentados. A capoeira surge como uma das formas que tiveram de proteção, pois seus golpes altamente perigosos, precisos e certeiros eram a única ferramenta para os que conseguiam fugir. O objetivo geral do projeto, é proporcionar através de oficinas semanais a difusão da capoeira, desde sua prática (ou práticas de estilos diferentes como no caso da capoeira regional e capoeira angola), à sua teoria e capacidade de promover bem estar físico e psicológico aos participantes. Além de disseminar a cultura africana dentro da Universidade, contextualizando na América Latina e promover a interação dos estudantes ingressantes latino-americanos. O público-alvo são os estudantes ingressantes no ano de 2019, mas não se restringe apenas para tal. A comunidade acadêmica da UNILA também será contemplada com as atividades deste projeto, assim haverá uma integração mais rápida dos alunos novatos com os veteranos. Salientamos que as oficinas não serão restritas apenas a comunidade interna, podendo ter a participação de pessoas da comunidade externa que demonstre interesse nas apresentações em espaços públicos (como praças, parques, escolas).

 

18. Nome do projeto: ​ Ciclo de debates inter-religioso cultural

Coordenação:​ Ahmed Hammaud Chansedine

Contato: ahmedwalid90@gmai.com; awh.chansedine.2017@aluno.unila.edu.br

Resumo: Considerando la UNILA como un proyecto de construcción de una convivencia intercultural latinoamericana también es importante resaltar que junto con la cultura está atrelada la espiritualidad o religiosidad que forman parte del propio ser de cada una de las personas y siendo pertinente poder expresarla con total libertad y sin miedo a discriminaciones. Siendo que dentro del ámbito académico de la UNILA las diferentes religiones y espiritualidades no solo conviven entre ellas sino también se expresan de las formas más sutiles. Es evidente que dentro del campo universitario existe una Inter-religiosidad tan grande como la interculturalidad, que se logra advertir a la distancia. Como seres humanos en ocasiones lo desconocido resulta temeroso y de eso surgen las discriminaciones, prejuicios, irrespetos, ofensas, entre muchas otras actitudes negativas que afectan la convivencia dentro del ámbito institucional. Por ello la instrucción y aprendizaje de las diferentes culturas y religiones que integran la universidad es tan importante tanto para promover la convivencia como para la aceptación de todos. Con esto es posible eliminar prejuicios y discriminaciones, al igual que permite abrir una puerta para aquellas personas que sientan que no pueden expresar su fe y creencia libremente por miedo a las interpretaciones sociales y los prejuicios. Así mismo, los estudiantes extranjeros y brasileños independiente de sus creenciasreligiosos y sus expresiones culturales serán bien recibidos, se les informará de las diversas culturas y religiones que conforman la universidad y al mismo tiempo junto con ellos se fomentará la comprensión y la integración, para que así todo el que esté interesado en conciliar cultura, religión y estudios logre realizarlo sin perjudicar su vida de estudiante.