Você está aqui: Página Inicial > Notícias > UNILA investe cerca de R$ 7 milhões em equipamentos para melhoria de laboratórios
conteúdo

Institucional

UNILA investe cerca de R$ 7 milhões em equipamentos para melhoria de laboratórios

Aquisições priorizaram necessidades apontadas pelos Institutos, para uso em atividades de ensino e pesquisa
publicado: 12/02/2018 15h16, última modificação: 12/01/2019 00h19

Se consideradas a instalação e a ampliação de laboratórios de ensino e pesquisa como um dos principais indicadores de investimento em instituição universitária, a UNILA realizou com sucesso essa missão no ano de 2017. Ao todo, foram investidos cerca de R$ 7 milhões entre aquisição de novos equipamentos, além de melhorias e projetos de ampliação de laboratórios para atendimento aos cursos que mais necessitavam de investimentos.

A proposta foi fazer um trabalho de redimensionamento da demanda e também de priorização das necessidades dos Institutos. “Houve um diálogo muito realista com todos aqueles que demostraram necessidade de aquisição de equipamentos - ILACVN, ILATIT e ILAACH - para que houvesse a compreensão de que solicitassem o mínimo possível para atender às necessidades dos cursos para este ano, e também que fossem listadas as prioridades de atendimento às demandas mais urgentes”, explica o pró-reitor de Administração, Gestão e Infraestrutura, Vagner Miyamura.

                        Equipamentos de laboratório

Ele também enfatiza que o desafio do curto tempo para redimensionamento das demandas, a partir do segundo semestre, e a sinergia entre as áreas acadêmicas e administrativas foram fundamentais para o sucesso e para a qualidade dos empenhos.

“Houve um diálogo muito realista para que fossem listadas as prioridades de atendimento às demandas mais urgentes”

As negociações entre as unidades administrativas da Reitoria e os Institutos foram importantes para que fosse aplicado o princípio da economicidade, com objetivo de não haver compras de equipamentos de forma desnecessária, além de também levar em consideração o momento econômico nacional, de escassez de recursos. A PROAGI buscou atender às solicitações para alcançar os objetivos acadêmicos e pedagógicos da instituição para 2018, priorizando o ensino de graduação, mas contemplando também algumas demandas da pós-graduação.

Atendimento a demandas

O Instituto que mais recebeu investimento foi o de Ciências da Vida e da Natureza (ILACVN), com um montante de cerca de R$ 2,4 milhões, além de R$ 1,25 milhão de recursos específicos para o curso de Medicina. O montante se justifica porque muitos dos laboratórios do Instituto são considerados como multiusuário, podendo contemplar diversos cursos da Instituição. Para o curso de Medicina, também ligado ao ILACVN, foi possível empenhar todo o recurso destinado ao Programa Mais Médicos, que deve ser usado exclusivamente para a implantação de novos cursos dessa natureza nas Universidades.

Demandas do Instituto Latino-Americano de Tecnologia, Infraestrutura e Território (ILATIT) estavam mais voltadas à aquisição de softwares e computadores para alguns laboratórios de informática, visto que muitos dos atuais laboratórios ligados ao Instituto atendem plenamente à demanda. Ali foram investidos um pouco mais de R$ 1 milhão. Já o Instituto Latino-Americano de Arte, Cultura e História recebeu cerca de R$ 1,15 milhão especialmente para equipar o curso de Cinema e Audiovisual, que apresentava defasagem de equipamentos (alguns deles ainda eram mantidos com contrato de aluguel) e laboratórios de ensino. Demandas desse curso foram consideradas prioridades pelo Instituto, visto que a principal demanda do curso de Música é por espaço físico com revestimento acústico adequado para as suas atividades.

Para atender às necessidades de forma racional, foi importante o diálogo entre as áreas. A Secretaria de Apoio Científico e Tecnológico (SACT) é a área que atua de forma técnica e responsável por analisar as demandas dos laboratórios. A SACT recebeu cerca de R$ 1,1 milhão para equipar os laboratórios de sua competência. “Muitas vezes as demandas vêm dos Institutos com descritivo, orçamento e justificativa e é necessário proximidade com as áreas para resolver, em tempo hábil, quaisquer alterações que forem solicitadas”, explica Giancarlo Tomazzoni, da SACT. À medida que as demandas são registradas e transformadas em processo, há muito mais chances de elas serem efetivadas quando o recurso estiver disponível.

Recursos empenhados em laboratórios, por área (2017)

ILACVN | R$ 2.397.025,80

Principais investimentos demandados:

  • Equipamentos para Laboratório de Ciências Físicas
  • Novo cromatógrafo para o Laboratório de Cromatografia
  • Equipamentos para Laboratório de Hidrogênio
  • Laboratórios para os programas de pós em Biociências e Biodiversidade


Medicina | R$ 1.253.167,05

Principais investimentos demandados:

  • Melhoria no Laboratório de Ciências Médicas
  • Viabilização do Laboratório de Fisiologia Cardiovascular
  • Aquisição de mesas interativas para as áreas de anatomia, patologia e histologia


ILATIT | R$ 1.084.259,00

Principais investimentos demandados:

  • Melhoria dos novos laboratórios no Setor Sul do PTI
  • Atendimento às demandas dos cursos de Engenharia
  • Investimento no Laboratório de Pavimentos


ILAACH | R$ 1.153.627,30

Principais investimentos demandados:

  • Aquisição de equipamentos de som e imagem para o curso de Cinema e Audiovisual
  • Investimento no Laboratório de Cenografia


SACT | R$ 1.126.443,12

Principais investimentos demandados:

  • Aquisição de novos reagentes
  • Equipamentos de Proteção Individual (EPIs): máscaras, luvas, jalecos
  • Equipamentos de Proteção Coletiva (EPCs): capelas, chuveiros, lava-olhos

 Total: R$ 7.014.522,27

* Informações da PROAGI e SACT 
registrado em: , , , ,