Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Matrícula de novos estudantes é marcada por mistura de emoções e expectativas
conteúdo

Vida Universitária

Matrícula de novos estudantes é marcada por mistura de emoções e expectativas

Aos poucos, os novos "unileiros" chegam para iniciar sua vida universitária
publicado: 22/02/2018 14h15, última modificação: 11/01/2019 23h18
Exibir carrossel de imagens Maysa de Oliveira Rosa Duarte

Maysa de Oliveira Rosa Duarte

Alegria, orgulho, alívio e muita expectativa se misturam à pasta com documentos na fila para a matrícula dos novos estudantes da UNILA. Convocados na chamada do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), os calouros têm até está quarta-feira (21) para realizar a matrícula presencialmente. O período de matrículas se estende pela próxima semana para atender os convocados na chamada complementar, programada para esta terça-feira (20), e os estudantes estrangeiros (veja o quadro).

Maysa de Oliveira Rosa DuarteAcompanhada de uma mãe mais que orgulhosa, Maysa de Oliveira Rosa Duarte fez sua matrícula em Medicina na segunda-feira (19) pela manhã. “Ouvi falar muito bem da Universidade. Tenho amigos aqui que fazem o curso”, conta a mineira de Belo Horizonte. O percurso para chegar à UNILA foi longo para ela, não só geograficamente. “Estudei muito tempo: sete anos para entrar no curso de Medicina, mas valeu a pena esperar”, diz.

A mãe não esconde a felicidade com o resultado. “Pra gente foi um orgulho. Ela tomou essa decisão quando tinha 16 anos, e nós fomos apoiando, ano a ano. Era muito sofrimento quando não conseguia. Foi um orgulho para a família toda, fizemos uma festa. Só de pensar, a gente já chora”, conta e enxuga uma lágrima. A mãe sabe que a filha ainda tem muito estudo pela frente. “Agora vai estudar mais, mas pelo menos passou a fase do vestibular, que eu acho que é exaustante, muita pressão.”

Rafaela Faust MeyerTambém acompanhada pela mãe, Rafaela Faust Meyer, de 19 anos, fez a matrícula no curso de Engenharia de Energia. “Sempre me interessei muito por essa área, fiz um curso técnico – eletroeletrônica –, foi o que me encantou bastante, à parte de ter uma expectativa de muitas pesquisas por conta de as aulas serem no PTI”, comenta a estudante que é de Joinville e escolheu a UNILA depois de uma viagem de turismo a Foz do Iguaçu. “Fiquei sabendo sobre a Universidade, me interessei e fui pesquisar”, explica.


O projeto de integração da UNILA despertou o interesse de Gabriela Tonini, que veio de Tatuí, interior de São Paulo, para estudar Geografia. “Gosto muito desta cidade, desta Universidade. O fato de ser uma universidade integrada, para o meu curso, é bem legal, porque a gente aprende muito de outras culturas, e Geografia é muito isso também”, comenta.