Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Livro lançado pela EDUNILA supre falta de estudos sobre o Hare Krishna no Brasil
conteúdo

Institucional

Livro lançado pela EDUNILA supre falta de estudos sobre o Hare Krishna no Brasil

Coletânea reúne 13 capítulos direcionados tanto a pesquisadores quanto a leigos interessados em saber mais sobre o movimento
publicado: 12/12/2022 16h00, última modificação: 12/12/2022 16h00

Uma obra fruto de investigações acadêmicas que vem sanar a ausência de pesquisas sobre o Hare Krishna no mercado editorial do país é a nova publicação da Editora Universitária da UNILA (EDUNILA). Organizado por dois especialistas no tema, o livro O movimento Hare Krishna no Brasil: estudos em perspectivas reúne 13 capítulos que, em seu conjunto, apresentam uma visão múltipla do movimento, abordando aspectos antropológicos, sociológicos, históricos, culturais e teológicos. Outra particularidade é que, apesar de sua característica científica, o livro se destina não apenas a estudiosos, mas a todos aqueles que se interessam pelo assunto. A publicação digital poderá ser baixada gratuitamente no catálogo da EDUNILA.

Tendo à frente os organizadores Leon Adan Gutierrez de Carvalho (UFPR) e Lúcio Valera (UFJF), a obra busca fazer jus ao Movimento Hare Krishna que, segundo ambos, possui importante presença no cenário religioso brasileiro. “O livro é resultado de uma coletânea de artigos elaborados por especialistas no tema que têm desenvolvido pesquisas sobre o movimento no Brasil e no mundo ao longo dos últimos anos. Essa iniciativa é inédita no país”, resume Carvalho.

A publicação está dividida em quatro seções como forma de facilitar a leitura, pois une assuntos semelhantes e propicia um melhor entendimento do leitor. A primeira tem como fim proporcionar uma leitura mais aprofundada e crítica das “‘origens teológicas’ da tradição Hare Krishna”. Já a segunda aponta caminhos para compreender os aspectos históricos do movimento no Brasil e no mundo. Por sua vez, a terceira seção aborda ligações entre o movimento e outros fenômenos, como a contracultura, a Nova Era e o ioga. Por fim, na última parte, são avaliadas questões de identidade e de sociabilidade dentro da seara da religião. Ou seja, “apesar de ter sido escrita por acadêmicos, a obra foi organizada de modo a permitir que o leitor que não possui conhecimentos prévios sobre o tema possa compreender aspectos importantes para o entendimento da temática”, argumentam os autores.

O movimento na fronteira

Com pouco mais de 300 páginas, o livro introduz o leitor ao movimento por meio de considerações históricas e sociológicas. Em seguida, apresenta um resgate da memória dos primeiros anos do Hare Krishna no país. Esse resgate precede a uma análise da presença das mulheres na tradição e a um estudo das ações desenvolvidas pelo movimento que vão além dos “mantras e templos”, como as de caráter educativo, executadas em uma ecovila situada em Caruaru (PE).

Especificamente em relação à fronteira Brasil-Paraguai-Argentina – região onde está localizada a UNILA e sua Editora Universitária – a obra apresenta um capítulo que analisa a cultura de fronteira e o Hare Krishna entre Foz do Iguaçu, Ciudad del Este e Puerto Iguazú. Desenvolvida por Júlio da Silveira Moreira, professor da UNILA, a análise parte da tese de que o movimento possui um caráter transcultural e transnacional próprio, pois afirma valores e princípios universais como a centralidade de uma ordem cósmica regida por um deus universal, características que são estudadas, no texto, tendo como base o fluxo populacional e os trânsitos transnacionais da Tríplice Fronteira.

É surpreendente, por exemplo, saber que “os primeiros devotos” a circular pela região foram os vendedores de livros sobre o Hare Krishna, chamados de sankirtaneiros. Vindos das cidades argentinas de Buenos Aires e Córdoba, eles seguiam para a capital paraguaia, Assunção, onde foi formado o primeiro núcleo no país vizinho, ainda nos anos 1970. Logo, a abrangência foi ampliada para Ciudad del Este, onde foi instalado um templo e um restaurante.

Mais recentemente, o polo de congregação e de atividades regulares na cidade vizinha “tem se constituído historicamente por vários movimentos e deslocamentos socioculturais”, que incluem os três países. Além de possibilitar esse fluxo transfronteiriço, o Movimento Hare Krishna tem provocado ainda um fluxo transnacional, pois recebe regularmente a visita de devotos de muitos países.

Sobre os organizadores

Leon Adan Gutierrez de Carvalho é doutor em História pela UFPR. Membro do Laboratório de Estudos de História das Religiões (Universidade de Pernambuco), pesquisa temas como História das Religiões, História Cultural, História do Movimento Hare Krishna e Hinduísmo.

Lúcio Valera é doutor em Ciência da Religião pela Universidade Federal de Juiz de Fora (MG) e desenvolveu sua pesquisa na Jawaharlal Nehru University, em Nova Delhi (Índia). Atua em temas como Filosofia, Ética, Diálogo Inter-religioso, Religião Comparada.

Serviço

Obra: O movimento Hare Krishna no Brasil: estudos em perspectivas, organizado por Leon Adan Gutierrez de Carvalho (UFPR) e Lúcio Valera (UFJF)
EDUNILA – Editora Universitária da UNILA
Disponível para download gratuito. https://editora.unila.edu.br/edunila/catalog.

registrado em: ,